Gestão por competência cabe em empresas de pequeno e médio portes?

gestao-por-competencia

Independente do porte, uma empresa deve sentir-se incomodada quando sua chefia já não consegue identificar quem faz o que e de que forma ela faz naquela organização. Hoje, sem dúvida nenhuma, a ferramenta Gestão por Competência deve ser disponibilizada para empreendimentos de pequeno e médio portes, a  exemplo do que já ocorre nas grandes corporações. Além de todos os argumentos que discutiremos a seguir, o mais importante: todos estão em busca da sustentabilidade. Das companhias o mercado cobra a obtenção de Certificações. Dos seus fornecedores, as empresas cobram também a adequação, ou seja, a coerência (que tecnicamente se dá  o nome de cadeia de custódia).

Há uns 15 anos, pensar em tudo isso nos remetia somente às grandes corporações. Hoje, várias empresas de pequeno porte, tanto em faturamento como em número de colaboradores, estão investindo em sustentabilidade, em instrumentos que possam garantir a sua manutenção no segmento em que atuam. E um desses instrumentos, a Avaliação de Desempenho – integrante da Gestão por Competência – é a forma de comprovar que o funcionário é aferido de tempos em tempos, que suas qualificações e desempenho estão em acordo com suas funções.

O processo de Gestão por Competência garante às empresas mostrar a esse mercado que seus funcionários apresentam os diferenciais competitivos exigidos na atualidade e podem afirmar isso porque ao fazerem a avaliação, tais empresas entraram em contato com os gaps de performance que seus profissionais apresentam e portanto podem apresentar planos, ações para o redirecionamento de suas ações em busca de resultados e, dessa forma, atingir mais rapidamente e de forma mais efetiva tais resultados.

Também é essa a ferramenta que apoiará na retenção de funcionários. A dança de cadeiras é hoje algo impressionante e perder um gestor ou um profissional técnico estratégico pode ser um grande baque. Ainda que o conhecimento popular afirme que ninguém é insubstituível, formar um substituto pode não ocorrer do dia para a noite.

Conhecer melhor os potenciais de seus talentos e aproveitá-los de forma assertiva, promover a transparência na empresa, saber que ações têm de ser implementadas para se chegar a outras áreas diferentes da sua, são situações possibilitadas pela Gestão por Competência.

O profissional tem ainda as condições para identificar que não está correspondendo às expectativas que a empresa tem para ele e, identificadas quais são, a empresa passa a ter condições  de exigir que a  chefia elabore um plano de ação para desenvolvimento daquele colaborador até a próxima avaliação (estabelecendo a chamada correção de rota).

Para as empresas com oportunidade de distribuir Plano de Produtividade, a Gestão por Competência também permite identificar de maneira justa quem são aqueles que têm condições de receber maiores benefícios. Consegue ainda identificar, mais assertivamente, quais são os planos de cursos que precisa programar para corrigir os profissionais que não estão a contento.

Mas nenhum passo pode ser dado sem que haja transparência de todo o processo. É importante que os funcionários sejam conscientizados sobre encarar o processo de avaliação de desempenho como uma oportunidade de repensar a carreira. E o gestor, como ferramenta de gestão para que possa redirecionar as ações da sua área frente aos objetivos da empresa.

Essa é uma medida que agrega valor econômico a empresa e valor social ao profissional, um up grade nas suas competências profissionais e emocionais. Então, por que não adotá-la?

Fátima Ohl Braga

Sócia-diretora e consultora organizacional. Atua há trinta anos como consultora organizacional, implementando programas de Treinamento e Desenvolvimento, Avaliação de Desempenho e Potencial, Gestão por Competências