23 jan, 2017 Clipping

Meritocracia na prática: dicas para introduzir e aplicar de maneira eficaz

A meritococracia é modelo de gestão de talentos que considera o mérito como principal meio para o crescimento profissional ou pessoal. Ela reconhece a performance do profissional e a entrega de seus resultados através de promoções para cargos mais complexos e de aumentos salariais ou bonificações. A meritocracia funciona como uma alavanca para estimular a realização de novos projetos, promovendo continuamente o desenvolvimento e o empoderamento dos profissionais.

Esse modelo permite que o empresário tome ações efetivas em seu negócio, reconhecendo e ampliando áreas assertivas de sua organização, além de realinhar aquelas que apresentam dificuldades de performances. A transparência e clareza necessária para sua implementação ajuda a criar um círculo virtuoso de recompensa para empresa e para os colaboradores. A empresa que conquista seus objetivos consegue sua sustentabilidade através da retenção de seus profissionais e do alcance de sua estratégia. O indivíduo que cumpre suas metas é reconhecido, sente-se satisfeito e feliz com a organização além de contribuir para manter a boa imagem da empresa para futuros clientes ou até mesmo outros colaboradores.

Apesar de ser um método de gestão apontado em pesquisas como um dos mais funcionais, existem empresas que ainda não possuem um modelo baseado em meritocracia, muitas vezes por falta de planejamento ou por simplesmente não saber como implantar. Meritocracia precisa fazer parte da cultura organizacional, a melhor forma de aplicá-la é através de algumas recomendações:

  1. Plano de Cargos e Salários: a empresa precisa ter o seu plano de cargo e salários estruturado com as responsabilidades descritas e avaliadas de todos os cargos. Cargos mais complexos recebem uma remuneração maior que os mais simples. Através de uma tabela de cargos e salários os profissionais podem ser promovidos por mérito, a medida que apresentem os resultados esperados.
  2. Planejamento Estratégico cascateado: é necessário possuir metas estratégicas e estas precisam ser distribuídas para toda a organização. Cada profissional precisa conhecer quais são seus objetivos funcionais e em quais padrões ele precisa entregar os seus resultados para que o objetivo macro coletivo seja alcançado.
  3. Avaliação de Desempenho: a empresa precisa estruturar um processo de avaliação de desempenho para identificar se as metas conferem com os indicadores de performances. A partir disso, ela passa a compreender e avaliar o desempenho do profissional.
  4. Programa de Remuneração Variável: é fundamental a empresa estabelecer um modelo de remuneração flexível relacionado com o desempenho do colaborador quando alcança suas metas. Esse é um dos principais responsáveis pelos impactos da meritocracia.
  5. Sistema de Gestão de Talentos: uma ferramenta que sistematize informações relativas a organização e aos profissionais (como metas, competências, perfil de cargo, avaliação de desempenho, cargos e salários) são de grande apoio para administrar e reter os talentos.

O sistema de meritocracia beneficia tanto os profissionais quanto a empresa. Os profissionais porque conforme vão recendo feedbacks positivos sobre sua performance se tornam mais confiantes e quando obtêm feedback negativo passam a buscar os padrões desejados.

Com relação aos ganhos da empresa, à medida que seus objetivos estratégicos são alcançados através do desempenho de seus profissionais, ela passa a se tornar mais sustentável e ganhar maior visibilidade de acordo com suas conquistas e isso reforça sua imagem no mercado. É um modelo que se bem introduzido consegue alinhar os objetivos empresariais com os objetivos individuais dos profissionais.

É um processo que precisa ser implementado de forma transparente, envolvendo todos os gestores da empresa e sensibilizando todos os profissionais para que percebam a sua importância e os resultados que poderão obter.

*Formada em pedagogia pela PUC-SP com Especialização em Treinamento e Desenvolvimento Gerencial PUC-SP, Gestão por Competência pela FIA e em Bioenergética. Facilitadora de Grupos pela Sociedade Brasileira de Dinâmica dos Grupos. Fátima Ohl Braga é Sócia-Diretora e Consultora Organizacional da Ohl Braga, empresa especializada em gestão empresarial, desenvolvimento de pessoas e softwares para recursos humanos que atua no mercado desde 1987.

*Este artigo foi publicado pelo site Mundo RH: http://www.mundorh.com.br/meritocracia-na-pratica/